Guaramiranga – (Rota do café e Serra do Baturité)

 

Neste tour iremos conhecer a região conhecida como Maciço do Baturité, um cenário interiorano que interliga os caminhos da Rota Verde do Café, onde por todo canto, encontramos o Café Sombreado – cultivado literalmente à sombra da mata – protegido, assim, dos raios intensos do Sol e fazendo com que o solo permaneça rico em nutrientes, adubado com a própria palha do café e umedecido pelas folhas das árvores, principalmente das ingazeiras. Um verdadeiro cinturão verde que encobre a serra de Baturité, de uma fauna e flora exuberantes, pauta para pesquisadores e amantes da natureza e morada nobre do Café de Sombra que há décadas contribui para preservação ambiental da Serra.

 

1º DIA – Fortaleza –  Redenção –  Baturité – Guaramiranga

 

Saída por volta das 07:00 horas da manhã seguindo pela CE-060 passando por diversos municípios históricos da Rota do Café, nossa primeira parada é na pequena cidade de Redenção, conhecida por ser a primeira vila do Império do Brasil a abolir a escravatura, vamos visitar o Engenho da Cachaça Douradinha aonde é possível visitar a senzala e a Casa Grande e conhecer todo o processo de cultivo da cana de açúcar nos tempos da escravatura. Continuamos pela CE-060 até a cidade de Baturité, localizada ao pé da serra de Guaramiranga, essa pequena cidade guarda todo o esplendor dos tempo áureos do café no Ceará, casarões coloniais e toda a opulência da riqueza adquirida com a produção do café, pequena visita a estação central de Baturité, hoje museu, a catedral de Baturité e alguns casarões coloniais. Iniciamos nossa subida à Serra de Guaramiranga, nossa primeira parada é no Mosteiro dos Jesuítas, uma imponente construção feita de pedra. Após a visita seguimos para o Parque das Cachoeiras aonde podemos nos deliciar com a beleza das quedas d´água existentes na região (almoço). Em seguida continuamos subindo a serra até a cidade de Guaramiranga, hospedagem na POUSADA BEM ESTAR ou similar em uma das belas pousadas de Guaramiranga, noite livre.

 

2º DIA – Guaramiranga (Rota do Café Verde)

 

Neste dia vamos conhecer alguns sítios e casarões existentes na Serra de Guaramiranga que ainda preservam o cultivo do café.

Nosso primeiro local para visitação é o Sitio São Roque, localizado no município de Mulungu, este sitio é referência no cultivo do café arábica sombreado, propicia a seus visitantes o contato direto com todo o processo de beneficiamento do grão, desde o plantio até a torragem e degustação. O ponto alto da visita é a prosa com Senhor Gerardo Farias, proprietário, que reside no Sítio há mais de 90 anos. O visitante é recebido num ambiente familiar e convidado a ouvir histórias sobre as memórias de vidas e vasto conhecimento sobre o café sombreado cultivado no Maciço de Baturité.

Depois seguimos para o Sítio Águas Finas que desde 1939 pertence a Família Uchôa, na figura de seu patriarca José Castelo Uchôa, cultiva o Café Guará que através do tempo vem aprimorando grãos e formas de beneficiamento, conferindo qualidade à marca. O Cafezal, que expande terra adentro debaixo das ingazeiras e da mata preservada, convida a percorrer suas trilhas num passeio repleto de informação, sabores e som nativos. A casa do velho da mata, degustação de frutas locais e do antigo café Guará – hoje Café Uchôa – são atrativos do Águas Finas. Francisco Uchôa e sua equipe recebem o visitante dentro da tradição da hospitalidade, consciência ecológica e muitas histórias para contar.

Outro importante lugar que iremos visitar é a Fazenda Floresta, situada em Pernambuquinho, distrito de Guaramiranga, tem suas origens no Século XIX. Nela, seus atuais proprietários João e Eunice Carracas cultivam o Café de Sombra e abrem suas portas, num circuito guiado, aos processos de produção: banco de mudas, cafezal, beneficiamento do café – pilar, torrar e moer o café – que depois pode ser adquirido na lojinha de fábrica com a marca Ejóia. A marca, ainda, abriga outros produtos processados artesanalmente na Fazenda como açúcar mascavo, rapadura, farinha de banana, banana-passa, cachaça de banana e licores. Fazenda Floresta prima pela sustentabilidade como a prática de aproveitamento de resíduos e confecção de embalagens ecológicas.

Por fim, vamos visitar o Sítio São Luís, o casarão foi construído para romper os séculos e atravessar gerações, com sua arquitetura suave e imponente, a Casa do Sítio São Luís é herança visível dos tempos áureos do Café na Serra de Baturité. Pela narrativa dos proprietários, histórias contextualizadas na tradição do cultivo do café, no Ceará e no Brasil, são reveladas aos visitantes enquanto percorrem os ambientes da Casa. A cozinha do Sítio São Luís é uma atração à parte: o fogão à lenha, o tacho de cobre, as panelas de barro, a chaleira fumegante… e o aroma de deliciosas e antigas receitas, do bolo de café, do pão, da ricota e das geleias, que são apreciadas no salão próximo aos arcos da varanda, ao som de boa música. Ao café arábica colhido nas matas do próprio sítio foi dado o nome de Café Carmen, uma referência amorosa à matriarca e personagem mais longeva da Família.

Ao fim do dia seguimos para o ponto mais elevado da Serra do Baturité conhecido como PICO ALTO, de onde é possível ter uma ampla visão de toda essa região e apreciar um lindíssimo pôr do sol, retorno ao hotel.

 

3º DIA – Guaramiranga – Fortaleza

Pela manhã visita a Linha da Serra, a tarde regresso a cidade de Fortaleza pela CE-253 e depois seguimos pela BR- 020. FIM DE NOSSOS SERVIÇOS.

Valores e disponibilidade sujeito a confirmação.